Chega de desperdício no condomínio!



04.03.2020, Por: Redação Lello

Todo síndico deseja passar a pasta ao sucessor com resultados de uma gestão eficiente. No entanto, numa roda de conversa, a dificuldade da maioria está justamente na redução das despesas

 

É difícil chegar lá, fazer mais com menos. Requer olhar apurado, conhecimento e envolvimento, o que nem sempre se consegue sozinho. Mesmo com o apoio da administradora.

 

Como seria incrível realizar uma bateria de exames, desses que apontam em detalhes problemas de saúde nas pessoas, só que no condomínio! De fato, muito se tem feito para chegar a esse resultado; e o mercado já dispõem de diversos métodos de gestão

 

Entretanto, Angélica Arbex, gerente de Relacionamento com o Cliente da Lello Condomínios, alerta que nada em condomínios pode ser feito no ‘atacado’.

 

“Cada caso é um caso. Qualquer mudança nos condomínios impacta diretamente na vida das pessoas que vivem e trabalham lá. A economia a qualquer custo também não é uma saída possível e sempre, nestes casos, o barato sai caro”, afirma a especialista.

Força-tarefa contra o supérfluo

 

São muitos os itens a serem observados no universo do condomínio:

  • folha de pagamento dos funcionários

  • contratos com fornecedores

  • consumo de água

  • consumo de energia elétrica

  • trabalhos de manutenção

  • compra de produtos de limpeza e conservação

 

Uma vez encontrados os pontos fracos em todos os setores, o que fazer para reverter a situação de desperdício? Como implementar mudanças realmente efetivas? E ações junto aos condôminos? Saberia, sozinho, mensurar os resultados?

 

Para resolver essa equação - no fundo, um sonho de consumo de síndicos e moradores -, a Lello usou o seu conhecimento de causa de 65 anos no mercado para criar a ferramenta Esquadrão da Economia.

 

“Notamos que os condomínios que chegavam na nossa carteira tinham o anseio muito forte de uma revisão completa de seus processos operacionais e administrativos, com foco na racionalização de despesas. Em muitos deles, havia o que fazer, e os resultados foram aparecendo. Então resolvemos criar uma ferramenta que nos ajudasse a escalar essa solução, até então artesanal”, conta Angélica.

 

Por dentro da ferramenta

A partir das características informadas do condomínio alvo do estudo, o sistema utiliza inteligência artificial e algoritmos para identificar condomínios com características semelhantes na carteira de clientes da Lello.

 

“Por termos cerca de 3 mil condomínios administrados, o estudo é muito efetivo. Sempre há um número muito bom para comparar e com diferentes perfis - condomínios pequenos de alto, médio e padrão econômico; condomínios grandes do mesmo jeito; condomínios-clube; prédios comerciais; associações, enfim…”, descreve Angélica Arbex.

 

Com base nessa identificação, são comparadas as principais despesas que formam o orçamento do condomínio e, graficamente, apontados desvios importantes.

 

equipe de atendimento analisa estes pontos, conhece bem o condomínio e suas características, e encontra oportunidades de economia.

 

Cada um faz a sua parte

O esquadrão é um grande mapa, que mostra oportunidades para uma maior acurácia de resultados.  A administradora encontra caminhos, calcula possíveis pontos de economia, explica reflexos atuais e futuros.

 

A partir das decisões, os condôminos e o corpo diretivo participam ativamente do processo de implantação. Angélica explica:

“Por exemplo, se é identificado um consumo excessivo de água ou energia, além de providências estruturais, é necessário também uma reeducação de consumo. Aí que entram os condôminos”.

O tempo para implementar o Esquadrão da Economia depende muito das decisões que o síndico e o corpo diretivo tomem a partir das análises feitas. “O Esquadrão aponta caminhos, mas as decisões de onde mexer é sempre do cliente”, diz.

 

Em geral, em seis meses pode ser feita uma reavaliação das despesas para entender os avanços do plano de ação implantado: se houve resultados ou se são necessários ajustes.

“Os clientes da nossa carteira, quando leem sobre o Esquadrão, perguntam: 'por quê vocês não nos ofereceram esse serviço, é só para clientes novos?' E a nossa resposta é que essa ferramenta é usada constantemente, em toda carteira, para identificar oportunidades. Às vezes, há o que reduzir e, às vezes, não. Em condomínio, de verdade, cada caso é um caso”, conclui a especialista.

 

Ou seja, não há uma receita de bolo. O condomínio precisa ser examinado como um todo para se encontrar soluções perenes e efetivas.

 

Para essa missão, calma, experiência e sabedoria são aspectos essenciais. Só assim o principal objetivo será alcançado: ter um condomínio mais econômico, mantendo e até aumentando a qualidade. A satisfação dos moradores será consequência.

 

Redação: SíndicoNet / Fonte: Angelica Arbex

 

Conheça o Esquadrão da Economia da Lello.