Subsíndicos: Os ‘Vices’ de 21 mil Condomínios de SP



29.03.2018, Por: Redação Lello

Os cerca de 21 mil condomínios da cidade de São Paulo também possuem seus “vices”. São os chamados subsíndicos, que têm papel complementar na administração do empreendimento, apoiando o síndico, respondendo em seu lugar e substituindo-o temporariamente.

Mas ao contrário dos mandatos públicos, como os de governador, prefeito ou presidente da República, os subsíndicos não podem assumir o cargo de síndico automaticamente em caso de algum impedimento do titular, como destituição, falecimento ou mudança. Neste caso, deve ser convocada assembleia geral para eleição de um novo síndico.

O subsíndico exerce papel importante na gestão do condomínio. Em condomínios com duas ou mais torres, que são comuns na capital paulista, recomenda-se que haja um subsíndico por torre, auxiliando o síndico de forma proativa.

O “vice” do síndico pode exercer funções específicas como supervisão dos funcionários, compra de materiais e acompanhamento dos trabalhos de conservação e manutenção realizados por empresas contratadas pelos condomínios. Mas nunca deve tomar decisões importantes sem antes consultar o síndico, que é o responsável legal pelo condomínio.

A legislação em vigor atribui às convenções dos condomínios regularem sobre as tarefas a serem exercidas pelos subsíndicos. Assim como os síndicos, o mandato dos subsíndicos não pode ultrapassar dois anos, permitida a reeleição. Diferentemente do síndico, o subsíndico não pode ter remuneração e nem isenção da quota do condomínio.

O mais importante é que o subsíndico esteja em absoluta sintonia com o síndico e seja o grande parceiro nas questões que envolvem a rotina administrativa do condomínio, incluindo o gerenciamento de eventuais conflitos de vizinhança.

Para saber mais sobre as funções do corpo diretivo, baixe nosso e-book aqui! 

Conheça também o trabalho do síndico, clicando aqui!

Para organizar, otimizar e orientar a gestão no condomínio, conta comigo!